Competitiva Internacional

Melhor filme
Fragments d’une révolution | França | Direção: Anonymous

Por unanimidade, escolhemos “Fragmentos de uma revolução” como melhor filme do forumdoc.bh.2011.
O juri foi fortemente tocado pela forma como o filme engaja o espectador politicamente. Através da montagem de imagens vindas de diversas fontes, o filme constitui uma narrativa e uma produção de sentido que contribui para um cinema politico renovado, transcendendo sua própria temática.

Juri:
Alexia Melo
Cezar Migliorin
Theo Duarte

Competitiva Nacional

Melhor longa-metragem
Diário de uma busca | Direção: Flávia Castro

Melhor curta-metragem
OMA | Direção: Michael Wahrmann

Menção honrosa
Bicicletas de Nhanderú | Direção: Sandro Ariel Ortega e Patrícia Ferreira

Dada a provocativa seleção da mostra Competitiva Nacional do forumdoc.bh.2011, o júri sentiu-se incitado a valorizar filmes que problematizam, de forma aguda, a autoconsciência de suas linguagens e a forma como seus procedimentos se deixam afetar pelas relações intersubjetivas que os atravessam. Nesse complexo panorama, composto por filmes cuja força expressiva encontra-se na medida mesma dos problemas que geram, dos riscos que assumem e da diversidade de suas propostas, o júri decidiu conceder prêmios de: Melhor Longa-Metragem, Melhor Curta-Metragem e uma Menção Honrosa.

Por fazer emergir, da impureza das relações de filmagem, o confronto entre tradição e atualidade, espiritualidade e consumo, concedemos a Menção Honrosa ao filme As bicicletas de Nhanderú, de Sandro Ariel Ortega e Patrícia Ferreira. Partindo do cotidiano da aldeia, o filme torna visível o entrelaçamento entre a dimensão política e a espiritual na vida dos Mbya-Guaranis e, no mesmo movimento, consegue explicitar a violência sofrida por este e por outros povos indígenas em risco de desaparição.

Impureza e confronto, não desprovidos de afeto, também comparecem em Oma, de Michael Wahrmann, que recebe o prêmio de Melhor Curta-Metragem. Nascido de uma relação familiar marcada pela ambiguidade e aspereza, o filme destaca-se por assumir a incompreensão, a precariedade e a opacidade da linguagem como elementos constitutivos não apenas das relações em jogo, mas, sobretudo, de sua matéria fílmica.

O afeto difícil e dolorido também se faz presente em Diário de uma busca, de Flávia Castro, que recebe o prêmio de Melhor Longa-Metragem. Engendrado por uma procura pessoal da realizadora, que não se reduz a uma investigação estritamente biográfica, o filme abre a dimensão privada para o político. Esquivando-se de um apoio excessivo na subjetividade, Diário de uma busca desloca o drama pessoal e familiar para o âmbito do coletivo, revisitando um período complexo e lacunar de nossa história e enfrentando a iminência do fracasso e o risco da sua não-realização.

Juri:
Ilana Feldman
Daniel Ribeiro
Leonardo Vidigal

One Comments

  • Flau, querida, não tenho feito contato, pq estou meio à beira de um desmaio, ultimamente. Chilique de fim de ano, passageiro… Mais beijinhos, Mô

Deixe uma resposta